Página Inicial da Eletronorte Eletronorte
» Página Inicial » Fale Conosco » Mapa do Site

Pesquise na Eletronorte:

busca avançada



Chamada Pública - Inscrição para Negócios de Geração e Transmissão Transparência Pública Transparência Pública Acesso à Informação da Eletronorte Lei de Conflito de Interesses Prestação de Contas

Dois dias com os Waimiri Atroari: conheça o dia a dia e a história dos índios que habitam as terras cortadas pelo Rio Alalaú

13 de Janeiro de 2011; Eletrobras Eletronorte

 

Diário de Alexandre Accioly
 
Depois de 22 anos escrevendo sobre os índios Waimiri Atroari fui convidado a conhecê-los. Não foi o primeiro convite ao longo desses anos, mas uma oportunidade interessante surgiu, com a ida de uma equipe da Eletrobras e da Eletrobras Eletronorte para a produção de um documentário. Considerei fazer um making-of, mas o que saiu foi este diário. Uma vez no Núcleo de Apoio Waimiri Atroari – Nawa, e nas três aldeias que visitamos, me senti em casa. Não apenas por conhecer toda a história deles e do programa Waimiri Atroari, realizado há 22 anos pela Eletrobras Eletronorte e Funai, mas porque eles também pareciam me conhecer, chamando-me sempre pelo nome, com intimidade. Como vivem bem esses índios. Homens, mulheres, crianças, idosos, todos são saudáveis, fortes, bonitos, alegres. A comida é farta e o sistema de organização social, uma aula de cidadania. Vem comigo nessa viagem e conheça um pouco da história do povo que somava 374 indivíduos em 1988 e, em julho de 2010, já contava 1.404 pessoas, uma taxa de crescimento de 5,77% ao ano.
Esta e outras repirtagens estão na ediçção 235 da revista Corrente Contínua, da Eletrobras Eletronorte. Confira aqui.
Leia também:
 
Eclusas Tucuruí vão permitir o transporte
 de 40 milhões de toneladas de cargas por ano
 
Érica Neiva
 “A conclusão de uma obra, especialmente dessa magnitude é para todo profissional umasatisfação emocionante, ao saber que os desafios foram vencidos, que o trabalho de equipe teve participação fundamental para êxito do empreendimento e que marca um momento histórico para o sistema hidroviário brasileiro. Essa obra representa uma alavanca importante para o desenvolvimento e avanço do agronegócio e o escoamento das riquezas minerais do Estado do Pará, capaz de reduzir em até 15% o custo do frete, proporcionando economia e competitividade, em igualdade de condições com os mercados internacionais. Gostaria de registrar que o êxito na conclusão desse empreendimento deve-se, principalmente, à equipe que, por muitas vezes, deixou o recanto de seus familiares para se dedicar, quase que integralmente, às atividades das quais são integrantes engenheiros, administradores, técnicos, trabalhadores de todos os níveis, que fizeram das eclusas de Tucuruí uma realidade nacional”.
CIRCUITO INTERNO
“Vamos colocar nossa alma no corpo
 da Empresa para que ela permaneça viva”
 
 A frase acima é do diretor-presidente da Eletrobras Eletronorte, Josias Matos de Araujo. Conversar com Josias é sempre assim, a gente ouve e aprende algo relacionado à engenharia, mas também à alma humana. Não foi à toa que ele escolheu cursar engenharia elétrica, com uma extensão em psicologia. Curioso e questionador do funcionamento das coisas desde criança, também estudou a ciência da terra, a geofísica. Formado pela Universidade Federal do Pará – UFPA, onde foi professor e orientador acadêmico, fez uma pós-graduação em sistemas de potência pela Universidade Federal de Itajubá (MG), onde também concluiu um mestrado.
 
 

 

 

RESPONSABILIDADE SOCIAL
Luz para todos os quilombos
 
Byron de Quevedo
 
Ainda não aconteceu, mas foi o intuito do governo que sai e, pelas evidências também o é, para o novo governo, que todas as comunidades quilombolas sejam retiradas da situação de estagnação e priorizadas nos programas Territórios da Cidadania e, principalmente, o Luz Para Todos (ver matéria na página...). O que contempla não só a instalação de energia elétrica, mas a inteiração com os agentes governamentais e entidades privadas aliadas, no intuito de estabelecer processos produtivos de renda coletivos e contínuos. Nesse sentido, as empresas do Setor Elétrico têm papel fundamental, uma vez que são os agentes de primeiro contato com essas comunidades.

 

ENTREVISTA
 
 
Plantas que geram energia
 
 “Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”. A célebre frase do químico francês, Antoine Laurent de Lavoisier (1743 – 1794) é o que define o mais novo empreendimento da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa – a Sede da Embrapa Agroenergia.
Esse novo empreendimento contará com quatro laboratórios temáticos (biologia energética, processamento de matérias-primas energéticas, aproveitamento de co-produtos e resíduos, e gestão do conhecimento em agroenergia), uma central de análise química e instrumental e um complexo de plantas piloto, com a matriz energética renovável de plantas como soja, mamona, dendê, girassol, algodão, pinhão manso, macaúba, entre outros.

 

HISTÓRIA
Brasil 500 Pássaros: dez anos de revoada
 
Um projeto pensado para devolver à sociedade, de forma lúdica e envolvente, o conhecimento adquirido pela Eletrobras Eletronorte em seus anos de Amazônia. Essa é a definição do Brasil 500 Pássaros, que marcou não só a história da Empresa, mas também a história do País. Pioneiro, o projeto foi um dos primeiros a envolver arte, ecologia, marketing e educação ambiental e representou uma experiência única para todos que ajudaram a concebê-lo. “Ele teve tudo de diferente. Foi uma coisa que nunca havia sido feita e que teve uma resposta muito boa. Nunca fiz outro projeto igual”, afirma Miguel Paladino, responsável pela coordenação técnica do projeto.

 

ENERGIA ATIVA
 
Luz Para Todos: a energia de 13 milhões de brasileiros
 
Michele Silveira
 
Nesta edição a revista Corrente Contínua convida o leitor a fazer o ‘exercício da Idade Média’. Não precisa fechar os olhos. Apenas sinta o sol quente sobre seus ombros. Mais alguns passos e chegará em casa. Com a pesca do dia nas mãos, é preciso chegar rápido para salgar o ‘pão de cada dia’. Pronto. Portas e janelas abertas para a brisa da noite entrar. Nada de ventiladores ou ar condicionado. Uma água gelada até caía bem. Mas esqueça. Nada de abrir a geladeira no meio da noite ou de ligar a televisão para mandar a insônia embora. Ler também não dá. São só sete da noite e a escuridão já levou toda a magia, toda a paciência, toda aquela beleza lá de fora. Falta o ar de tão quente. O jeito é dormir pra ver se esse breu amanhece. Pelo menos já será hora de pegar o peixe que precisa chegar fresco na feira porque, de um dia para o outro, só se for salgado. Mas até o pensamento está no escuro. Há dias em que até o respirar fica difícil.

TRANSMISSÃO
 
Tecnologias especiais asseguram
 a proteção dos sistemas elétricos
 
César Fechine
 
Quanto tempo leva um piscar de olhos? Aproximadamente 200 milissegundos, o que representa um quinto de segundo. Ou um segundo dividido por mil e multiplicado por 200. Então, pode-se considerar 33 milissegundos como uma medida ínfima de tempo. É esse o tempo que um sinal de desligamento leva para percorrer a distância de 3.500 quilômetros, a partir da Usina Hidrelétrica Itaipu, em Foz do Iguaçu, no Paraná, até Imperatriz, no Maranhão, e desta para a Usina Hidrerlétrica Tucuruí, no Pará. O sinal é emitido pelo Sistema Especial de Proteção e Controle – SEP, considerado um dos mais importantes para a operação elétrica no País.


mais notícias


® Centrais Elétricas do Norte do Brasil S.A - Eletrobras Eletronorte - SCN Quadra 06 Conj. A, Blocos B e C, Entrada Norte 1, Asa Norte - CEP 70.716-901 - Brasília/DF
Telefone (61) 3429-5151

Copyright© Eletrobras Eletronorte. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução do conteúdo deste site, desde que citada a fonte.